VOLTAR AO ÍNDICE

22/11/2013 - Peru e Equador lançam nanosatélites ao espaço

O Peru e o Equador, entre outros países, lançaram nanosatélites ao espaço nesta quinta-feira (21) a partir da plataforma de Dombarovsky, em Yasny (Rússia), pelo foguete Dnepr-1 que transportou uma série de satélites internacionais.

São os primeiros satélites enviados pelo Peru e o segundo nanoequipamento do Equador, após fracassada missão do primeiro, informou a Agência Espacial Civil Equatoriana (EXA).

Os dois satélites de pesquisa científica desenvolvidos pelo Peru foram com objetivo de estudar o clima, anunciou em Lima o Instituto de Radioastronomia da Pontifícia Universidade Católica, impulsionador do projeto.

“Às 02h10 (05h10 de Brasília), do cosmódromo russo de Yasny, foram lançados os dois primeiros satélites peruanos: PUCP-Sat 1 e Pocket-PUCP, totalmente desenvolvidos no país pelo Instituto de Radioastronomia”, anunciou a universidade em seu site na internet.

Os satélites “têm fins acadêmicos e de pesquisa em ciência e engenharia espacial. A informação que compilarem será útil para comprovar sua resistência em condições climáticas adversas e para aperfeiçoar o desenho térmico de futuros satélites”, destacou o cientista peruano Jorge Heraud, diretor do Instituto.

O PUCP-Sat 1 é um nanossatélite em forma de cubo, com 10 centímetros de face e 1.240 gramas de peso. O Pocket-PUCP pesa 97 gramas e é um dos mais leves do mundo.

Os dois darão uma volta ao redor da Terra a cada 90 minutos, a 630 km de altitude.

A Universidade Nacional de Engenharia (UNI) tem previsto lançar no começo de 2014 outros dois microssatélites de pesquisa científica como parte de outro projeto aeroespacial com a Universidade Estatal do Sudoeste da Rússia.

Já o nanosatélite do Equador, o segundo projeto aeroespacial do país neste ano, enviará imagens com áudio em tempo real para fins educacionais. “O NEE-02 Krysaor entrou em órbita. A missão é um êxito”, informou a EXA em sua conta no Twitter.

“Todos os satélites que (o foguete levava) se soltaram. A missão foi cumprida a tempo, não há nenhum atraso”, disse Ronnie Nader, o único astronauta equatoriano e diretor da EXA.

O Krysaor é um cubo de 10 por 10 centímetros com painéis solares – que estendidos alcançam 75 centímetros – e 1,2 quilo de peso.

De acordo com o EXA, ele “leva novos avanços no desdobramento ativo de seus painéis solares, transmissão digital de alta velocidade e uma câmera de resolução superior à da Pégaso”. O Pégaso, aparelho similar, foi lançado com êxito, mas deixou de funcionar em setembro, a partir de uma colisão com os restos de um foguete russo.

Os dois aparelhos, estimados em 160 mil dólares, foram construídos no Equador sob encomenda da EXA, agência privada cujos projetos têm apoio do governo nacional. (Fonte: G1)